Nota

Matinal sofre ataque digital ao reportar estudos clínicos não autorizados

por | ago 25, 2021

O site do Grupo Matinal Jornalismo, associado à Ajor, sofreu ataques aos seus servidores após publicação de reportagem sobre estudos clínicos realizados com medicamentos sem autorização da Anvisa. O repórter Pedro Nakamura, responsável pela apuração, também tem sido alvo de ameaças e hostilidades.

Em 23.ago.2021, uma das fontes que Nakamura procurou para a reportagem tornou pública a troca de mensagens com o repórter, incitando seus seguidores a atacar o profissional fisicamente e nas redes sociais. 

Um dia depois, o portal do Matinal começou a sofrer ataques de negação de serviço, conhecidos como DDoS, que buscam sobrecarregar os servidores para impedir o acesso do público ao conteúdo. 

A reportagem que motivou os ataques revelou indícios de que dois médicos administraram proxalutamida a pacientes no Hospital da Brigada Militar de Porto Alegre. O fármaco não é autorizado no Brasil, e sua importação para testes clínicos não foi autorizada pela Anvisa. Segundo a reportagem, o estudo tampouco teria sido comunicado a comitês de ética em pesquisa, medida obrigatória, e nem aos pacientes submetidos ao tratamento.

Para Filipe Speck, diretor-executivo do Matinal, “reportagens feitas por jornais digitais têm outra dinâmica de impacto, e embora hoje seja mais fácil para um jornal pequeno trazer à tona as disfunções do País, gerar um debate racional e produtivo virou algo extremamente difícil. Os ataques ao Matinal e ao Pedro mostram uma postura refratária, sem comprometimento com a democracia”.

A Ajor acompanha o caso e avalia em conjunto com o Grupo Matinal diferentes medidas para proteger o profissional, a empresa jornalística e o direito de os cidadãos se informarem.