notícias

Repórter do Congresso em Foco sofre ameaças após denunciar esquema de produção de ‘fake news’ em favor de Bolsonaro

por | jun 5, 2022

O jornalista Lucas Neiva, do Congresso em Foco, foi ameaçado de morte e teve seus dados pessoais vazados neste sábado (4) após a publicação de uma reportagem na qual denuncia um fórum anônimo de esquema de produção de desinformação em favor do presidente Jair Bolsonaro. Além do ataque ao comunicador, o site do Congresso em Foco também sofreu um ataque hacker, ficando temporariamente foca do ar.

As ameaças aconteceram no site 1500chan, um fórum de discussão anônimo em que internautas se comunicam por texto e imagens sem qualquer tipo de identificação este tipo de plataforma é conhecida como imageboard.  Ataques a movimentos sociais, propaganda de extrema-direita, divulgação de conteúdo declaradamente racista e antissemita, bem como teorias de conspiração ocupam o topo das abas políticas desses sites, como relatou próprio Congresso em Foco em nota sobre o ocorrido. 

Na investigação, Lucas Neiva revela que um usuário da plataforma ofereceu pagamento em criptomoeda pela criação de conteúdo eleitoral em favor de Jair Bolsonaro que viralizar na internet. Além disso, o repórter menciona uma campanha para ludibriar e desmoralizar eventuais jornalistas “infiltrados”, proposta por outro autor do fórum. 

“Parece que alguém vai amanhecer morto ”e “Eu ri do jornalista esfaqueado em Brasília e queria que acontecesse mais” são algumas das mensagens compartilhadas pelos usuários.  As ameaças foram registradas pelo jornalista em um boletim de ocorrência na 9ª Delegacia de Polícia de Brasília.

Na noite de domingo (5), a editora do Congresso em Foco Insider Vanessa Lippelt também virou alvo das ameaças. A foto de uma arma que, segundo o autor, seria usada no assassinato da jornalista, foi encaminhada ao e-mail da redação do site. 

O deputado Fábio Trad (PSD-MS) informou neste domingo (5) que vai pedir providências sobre o caso à Comissão de Direitos Humanos da Câmara, ao Ministério Público e à Polícia Federal. 

A Ajor se solidariza com Lucas Neiva, Vanessa Lippelt e demais colegas do Congresso em Foco e reafirma a necessidade de uma investigação rápida sobre o caso pelos órgãos responsáveis. Não toleraremos esta ou qualquer tentativa de cerceamento ao livre exercício profissional jornalístico.