Nota

Ajor repudia violência contra jornalistas em protestos

por | set 8, 2021

A Associação de Jornalismo Digital repudia as ameaças, agressões e tentativas de intimidação sofridas por jornalistas nos dias 7 e 8 de setembro de 2021, enquanto cobriam as manifestações com pautas anti-democráticas ocorridas em diversas cidades do país. 

Em 7 de setembro, uma equipe do portal Metrópoles, associado à Ajor, foi ameaçada e perseguida enquanto cobria a dispersão da manifestação na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. No dia 8, cinegrafistas da TV Record e do SBT foram cercados e intimidados em frente à sede do Ministério da Saúde, também na capital Federal. O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal identificou pelo menos 10 episódios de ataques contra jornalistas no dia 7, no DF.

Em São Paulo, no mesmo dia, profissionais da TV Band, da rádio Jovem Pan e do portal UOL também foram intimidados e impedidos de cobrir a manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro em frente ao MASP (Museu de Arte de São Paulo) e foram, inclusive, alvo de objetos arremessados contra eles. Além dos ataques direcionados a jornalistas, também havia, nas manifestações, faixas contra a imprensa. 

Todos os atos que tentam impedir a cobertura jornalística de fatos de interesse público são uma violação à liberdade de imprensa e ao direito de informação do cidadão, garantias previstas na Constituição Brasileira.