notícias

Portal Catarinas e Artigo 19 lançam Plataforma de Dados voltada para o desenvolvimento sustentável

por | dez 14, 2021

O evento de inauguração “Apagão de dados e desigualdades” aconteceu ontem (13.12), com transmissão virtual nas redes do Portal. 

Nesta segunda-feira (13), Portal Catarinas e Artigo 19 realizaram evento de lançamento da Plataforma de Dados Sobre a Agenda dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. A live “Apagão de Dados e Desigualdades”, que inaugurou o projeto, contou com a Lígia Cardieri da Rede Feminista de Saúde, a Ana Paula Valdiones do Instituto Centro e Vida, o Jacques Latchuk do Observatório de Desigualdades e a Débora Lima, da Artigo 19. 

O evento também revelou informações importantes a respeito da atuação do atual Governo, como aponta a Diretora Executiva do Portal Catarinas, Paula Guimarães, “O Grupo de Trabalho identificou um verdadeiro apagão de dados públicos por parte do Governo Federal, coerente com a política negacionista e autoritária que vem sendo adotada.” 

Ela ressalta que a escolha do tema para o evento teve relação com a descoberta, uma vez que “A temática ‘Apagão de dados e desigualdades’, afirma como esses dois pontos estão conectados, ou seja, como a falta de transparência impacta negativamente a elaboração de políticas públicas e, consequentemente, resulta na produção de desigualdades.” 

A plataforma foi construída por um Grupo de Trabalho da Sociedade Civil da Agenda 2030, uma coalizão composta por mais de 50 entidades de todas as regiões do Brasil, atualmente facilitada pela Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero, ACT Promoção da Saúde e UNB 2030. 

De acordo com a assistente do Programa de Espaço Cívico, Débora Lima, a Plataforma foi construída a partir da demanda do GT, que via a necessidade de ter uma ferramenta que facilitasse a pesquisa e o desenvolvimento do Relatório Luz, cujo objetivo é verificar o nível de implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável no Brasil. 

As organizações estabeleceram dois objetivos para o projeto, como conta a Débora Lima, “possibilitar a pesquisa dos dados relacionados aos ODS, proporcionando a pesquisadores, acadêmicos e jornalistas uma ferramenta que reúne diversas fontes alocadas por temáticas, o outro é verificar o acesso a dados públicos que deveriam ser disponibilizados e atualizados de forma ativa pelo Estado brasileiro, monitorando assim o nível de transparência.”

A Plataforma está disponível neste link para toda a sociedade.